quinta-feira, 23 de março de 2017

Fundação Gregório de Mattos apresenta ações de fomento à cultura para 2017

Seis editais foram lançados, com destaque para o "Espaços Boca de Brasa" e mais uma edição do "Viva Cultura", além de iniciativas voltadas para o patrimônio
Cerimônia de lançamento dos editais 2017 da Fundação Gregório de Mattos. Da esquerda para a direita: Claudio Tinoco, ACM Neto, Fernando Guerreiro e João Roma. Foto: Raulino Júnior

Recepcionados por integrantes do projeto Personagens Vivos, cuja finalidade é resgatar a memória de personalidades — reais ou fictícias — que dialogam com a cultura baiana, produtores, artistas e profissionais da imprensa participaram, na tarde de hoje, do evento realizado pela Fundação Gregório de Mattos (FGM) para anunciar as ações de fomento cultural para o ano de 2017. A cerimônia, que fez parte das comemorações pelos 468 anos de Salvador, embora o aniversário seja no dia 29, começou com quarenta minutos de atraso (estava marcada para as 15h), evidenciando mais um traço marcante da cultura soteropolitana. Foi tempo suficiente para "Dona Flor e seus Dois Maridos" desfilarem pelo espaço (o Teatro Gregório de Mattos), "Carmen Miranda" exibir sua indumentária, "Raul Seixas" bater papo com a equipe de som, e "Zumbi", "Castro Alves" e "Gregório de Mattos" serem requisitados para selfies.
Artistas, produtores culturais e profissionais da imprensa lotaram o Teatro Gregório de Mattos. Foto: Raulino Júnior

Assim que Antonio Carlos Peixoto de Magalhães Neto (ACM Neto), prefeito de Salvador, chegou ao evento com a sua trupe (Claudio Tinoco, secretário municipal de Cultura e Turismo e João Roma, Chefe de Gabinete); Fernando Guerreiro, presidente da FGM, abriu os trabalhos: "Tudo isso que está sendo feito aqui é para a classe artística e cultural de Salvador". Em seguida, falou dos seis editais que serviram de mote para a reunião: Selo João Ubaldo Ribeiro - Ano II (visa publicar oito obras de autores soteropolitanos. As categorias são: conto, crônica, dramaturgia, infantil, poesia, romance, republicação e categoria livre), Arte Todo Dia - Ano III (vai premiar 30 propostas artístico-culturais de pequeno porte, com premiação entre 10 e 30 mil reais), Viva Cultura (incentivo fiscal para projetos artístico-culturais de todas as linguagens, com orçamento de até 300 mil reais), Capoeira Viva Salvador (vai premiar nove propostas voltadas para a promoção e preservação da capoeira, com prêmios de 15 a 30 mil reais), Espaços Boca de Brasa (vai selecionar três projetos de instituições culturais sem fins lucrativos, a fim de transformá-las nos Espaços Boca de Brasa. O investimento será de 150 mil reais por projeto) e o Arte na TV - Ano II (vai selecionar projetos de produção audiovisual. De acordo com o informativo distribuído no encontro, esse edital está "em fase de pesquisa e articulações para definição do conceito, distribuição do recurso, modalidades e quantitativo de projetos". A previsão de abertura das inscrições é para o mês de junho).

Fernando também destacou as iniciativas voltadas para a preservação do patrimônio cultural. Na lista, o tombamento da Pedra de Xangô e da Estátua do Cristo Salvador, o Selo Memória Cultural de Salvador, que será concedido a estabelecimentos importantes para o cotidiano cultural da cidade, e a série de debates Patrimônio é..., que tem como intuito promover a educação patrimonial.

Investimento
ACM Neto falou da política cultural de Salvador. Foto: Raulino Júnior

A prefeitura de Salvador vai investir 8 milhões de reais nos editais de fomento. "A gente não olha o recurso que é aplicado na cultura como uma simples despesa pública, nós olhamos como investimento. Investimento no presente e investimento no futuro da nossa cidade", pontuou ACM Neto. Para o chefe do Executivo municipal, o acesso democrático aos recursos é uma marca de sua gestão: "É claro que a nossa prioridade é ajudar quem não tem os meios comerciais para se estabelecer, isso não quer dizer que a gente não possa também investir e apoiar iniciativas de grande porte. No entanto, a prioridade é pegar o pequeno produtor, é pegar aquela iniciativa que brota dos guetos da cidade e dar condições para que essas iniciativas se coloquem de pé e se materializem. Isso está na essência de toda a nossa política cultural". Em seu discurso, o prefeito anunciou que o primeiro Espaço Boca de Brasa da cidade será, provavelmente, o de Coutos, e disse que o regulamento do Viva Cultura será publicado em pouco tempo. "Já combinei com Guerreiro: nós vamos fazer uma ampla divulgação, vamos dar ampla publicidade, sobretudo às empresas, para que elas se sintam estimuladas a apoiar projetos culturais que vão ser aprovados por uma comissão técnica e, em contrapartida, essas empresas vão ter o benefício da redução dos seus tributos, tanto na possibilidade do pagamento do ISS [Imposto Sobre Serviços de Qualquer Natureza], como na possibilidade do pagamento do IPTU [Imposto sobre a Propriedade Predial e Territorial Urbana], que são os dois principais tributos municipais".

Reações

O músico Makonnen Tafari, 19 anos, da Associação Cultural Hip Hop Inovação e do grupo Nova Saga, aprovou as novidades apresentadas pela FGM: "Achei muito interessante. Pelas propostas que eu vi, eu percebi que, cada vez mais, vai aumentar o espaço para nós, que somos artistas e produtores. É cada vez mais interessante que possa chegar aos artistas que estão distantes, para que possam apresentar o trabalho com uma estrutura boa e também ter um um retorno financeiro".
Makonnen Tafari, do Nova Saga: "Vai aumentar o espaço para nós, que somos artistas e produtores". Foto: Raulino Júnior

O cantor e compositor Tonho Matéria, 52 anos, um dos vocalistas do Ara Ketu, considerou importante a iniciativa do edital Capoeira Viva Salvador, mas acha que outras ações mais significativas deveriam ser feitas para a promoção e preservação da arte: "Toda proposta é viável para a capoeira. A capoeira foi o primeiro movimento de luta, de combate ao racismo, à discriminação e sempre esteve na frente e à frente de tudo isso que está acontecendo. Os benefícios que são fomentados para a capoeira ainda é muito pouco para o que nós necessitamos enquanto capoeiristas. Um edital é pouquíssimo, ele não abrange as nossas necessidades. Claro que dá visibilidade e oportunidade para a gente fazer algumas coisas nas nossas comunidades, mas isso é muito pouco diante do que gente faz durante o ano inteiro. Acrescentaria mais se esse edital se transformasse num projeto de lei. É necessário que as políticas de fomento deem a possibilidade de termos um projeto sendo apoiado, mas a gente quer além disso. A gente não quer só fazer aquele projeto e passar aquele projeto naquele tal edital. A gente quer que, durante o ano inteiro, nossas ações sejam realmente vivas", criticou o artista, que também é mestre de capoeira, produtor cultural e publicitário. Em 2014, a Organização das Nações Unidas  para a Educação, a Ciência e a Cultura (UNESCO) reconheceu a capoeira como Patrimônio Cultural Imaterial da Humanidade.

Tonho Matéria, sobre o Capoeira Viva: "Um edital é pouquíssimo, não abrange as nossas necessidades". Foto: Raulino Júnior

Para saber mais informações sobre os editais lançados pela Fundação Gregório de Mattos, acesse os seguintes links:

1) Selo Literário João Ubaldo Ribeiro - Ano II: www.seloano2.salvador.ba.gov.br.
2) Arte Todo Dia - Ano III: www.artetododia.salvador.ba.gov.br.
3) Viva Cultura: www.vivacultura.salvador.ba.gov.br.
4) Capoeira Viva Salvador: www.capoeiraviva.salvador.ba.gov.br.
5) Espaços Boca de Brasa: www.bocadebrasa.salvador.ba.gov.br.
6) Arte na TV - Ano II: www.artenatv.salvador.ba.gov.br.
Postagem mais recente Postagem mais antiga Página inicial

0 comentários:

Postar um comentário

Copyright © Desde que eu me entendo por gente

Design by Josymar Alves