sexta-feira, 11 de março de 2016

A troca de independentemente por independente

Imagem: Raulino Júnior
Por Raulino Júnior

"Cada dia civil trabalhado corresponde a apenas um dia letivo, independente da carga horária; contudo, todas as horas trabalhadas com os estudantes deverão ser registradas como horas letivas". O trecho em destaque faz parte de uma instrução normativa publicada pela Secretaria da Educação do Estado da Bahia, em abril de 2015. Nada demais. A não ser o emprego equivocado de "independente". Esse fenômeno da língua está nos jornais, nos ambientes de ensino (com professores e estudantes protagonizando a cena), na TV, no rádio, na internet e em todos os lugares frequentados por humanos. Virou moda.

"Independente" é adjetivo, se refere a um substantivo ou a um termo com esse valor. A mulher é independente. Você é independente? A língua portuguesa não, depende de regras. "Independente" se contrapõe a "dependente" e é uma palavra variável.

No caso do texto da instrução normativa, a forma adequada, para a língua padrão, seria a seguinte: "Cada dia civil trabalhado corresponde a apenas um dia letivo, independentemente da carga horária...". "Independentemente" é advérbio, modifica um verbo, adjetivo, outro advérbio ou uma oração inteira. É uma palavra invariável.

A troca de "independentemente" por "independente" tem se tornado comum. Não vai demorar ser consagrada. Afinal, quem manda na língua é o falante, independentemente de qualquer coisa. O falante é independente, ora bolas!
Postagem mais recente Postagem mais antiga Página inicial

4 comentários:

  1. Legal seu blog Raulino. Parabéns pela iniciativa. Vou seguir você pra saber das novidades, viu.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Ana! Que bom que você gostou!Também já estou te seguindo. Abração!

      Excluir
  2. Respostas
    1. Por nada, Nicolás! Continue visitando este espaço. É importante para mim. Abração! :)

      Excluir

Copyright © Desde que eu me entendo por gente

Design by Josymar Alves