quarta-feira, 30 de dezembro de 2015

"Não é uma biografia chapa branca", afirma biógrafo de Milton Santos

Fernando Conceição lança biografia de intelectual brasileiro em cerimônia bastante disputada
O auditório do Sindicato dos Bancários ficou lotado durante a cerimônia de lançamento do livro Milton Santos, uma biografia, de Fernando Conceição. Foto: Cristiane Silva



Por Raulino Júnior

"Não é uma biografia chapa branca. Eu não vou mistificar Milton Santos. Eu vou retratá-lo como homem, como um sujeito, cheio de contradições", esse foi apenas um trecho do discurso que o professor e jornalista Fernando Conceição, 48 anos, fez durante a cerimônia de lançamento do seu livro Milton Santos, uma biografia. Após dizer as afirmações em destaque, ele foi aplaudido pelas mais de 400 pessoas que lotaram o auditório do Sindicato dos Bancários do Estado da Bahia, em Salvador, onde aconteceu o evento, na tarde da última segunda-feira do ano de 2015, 28 de dezembro.

Fernando fez questão de enfatizar que a obra, que foi distribuída gratuitamente no lançamento e, a partir do próximo mês, será para todo o país, é só um aperitivo, a primeira versão do texto. "Esta é a primeira versão  de um texto muito mais longo. Aqui [no livro] não tem um terço de todo o material que eu tenho para produzir a segunda versão da biografia de Milton Santos. Mas o que tem aqui, provavelmente, já vai criar algum frisson", revelou. Segundo o escritor, a correria em publicar a primeira versão se deu por causa de compromissos com a Petrobras, patrocinadora do projeto.

No vídeo abaixo, o biógrafo fala sobre os pormenores da pesquisa iniciada em 2007, além de enumerar alguns países que visitou para entrevistar pessoas que conviveram com o geógrafo baiano. Pontua, brevemente, fatos da vida de Milton e lê alguns trechos do livro. O ex-deputado federal Luiz Alberto, que intermediou o contato de Fernando Conceição com uma das diretorias da Petrobras, em 2012, aparece no início do audiovisual.


 A pesquisa foi administrada pelo AFIRME-SE! Centro de Práticas e Estudos de Diversidades Cuturais em parceria com o Grupo de Pesquisa Permanecer Milton Santos, da Universidade Federal da Bahia (UFBA). Além do livro, o PROJETO MILTON SANTOS, como Fernando se refere na orelha da biografia, previa a produção de um videodocumentário sobre a vida e obra do pensador nascido em Brotas de Macaúbas e também a construção e disponibilização de um site sobre o geógrafo. O site não foi apresentado durante o evento, já o videodocumentário, encartado no livro, foi exibido e comentado pela jornalista Sueide Kintê, responsável pela edição e montagem do produto. No vídeo a seguir, ela fala também sobre o privilégio de trabalhar no projeto.


Danila de Jesus, presidente do AFIRME-SE!, foi a coordenadora da mesa Intelectual, Negro e Geógrafo Mundial, que serviu de mote para o lançamento da biografia e contou com a participação de parceiros do projeto, como alguns sindicalistas e pessoas interessadas na temática da igualdade racial. Douglas Izzo, presidente da Central Única dos Trabalhadores de São Paulo (CUT/SP) e professor de geografia, parabenizou Fernando Conceição e destacou a importância da obra para a sociedade e para as próximas gerações. Assita à participação dele.


O secretário de Promoção da Igualdade Racial de São Paulo, Maurício Pestana, falou um pouco sobre como participou do projeto, do interesse de muita gente em saber sobre a obra de Milton Santos e lamentou a insistência do racismo na sociedade brasileira: "Eu não tenho dúvida nenhuma que, se Milton Santos fosse branco, teriam seriados [sic], especiais, a mídia estaria falando, uma comoção. Provavelmente, Milton Santos seria até enredo de escola de samba". Veja um pouco mais do discurso de Pestana, no vídeo abaixo.


Antônio Bomfim, coordenador do Sindicato dos Trabalhadores e Trabalhadoras Técnico-Administrativos em Educação das Universidades Federais e Fundações da Bahia (Assufba Sindicato), falou sobre o lançamento do Coletivo de Negros e Negras da UFBA - NEGRUFBA e pontuou o fato de a sessão estar lotada, mesmo sendo a última semana do ano e com vários outros apelos típicos do verão.

 
O coordenador da Federação de Sindicatos de Trabalhadores Técnico-Administrativos em Instituições de Ensino Superior Públicas do Brasil (FASUBRA), Paulo Vaz, destacou que, diante de todo o trabalho realizado por Milton Santos, a universidade não tem mais como esconder o seu legado. Assista ao vídeo.


Augusto Vasconcelos, presidente do Sindicato dos Bancários do Estado da Bahia, considerou o lançamento da biografia como algo fundamental para quem se debruça sobre a bibliografia de Milton Santos. Salientou o caráter vanguardista do geógrafo e o enfrentamento dele à globalização neoliberal. Confira no vídeo abaixo.


Milton Santos

Milton Almeida dos Santos nasceu em 3 de maio de 1926 e morreu em 24 de junho de 2001, em São Paulo, vítima de um câncer de próstata. Formou-se em direito, pela UFBA, mas marcou o seu nome na história como geógrafo e importante pensador da sociedade, do tempo e do espaço. Foi professor, trabalhou em jornais, militou na política estudantil, foi desterrado. Conhecer o seu legado é papel de qualquer pessoa que habita a Terra. Ou seja, é papel de todos nós!

*******************

Agradecimentos especiais à Danila de Jesus, que autorizou o Desde a filmar a cerimônia de lançamento da biografia. Muito obrigado!




























Postagem mais recente Postagem mais antiga Página inicial

0 comentários:

Postar um comentário

Copyright © Desde que eu me entendo por gente

Design by Josymar Alves