quinta-feira, 25 de setembro de 2014

sexo e as negas é um ATENTADO!



Pra começar, vou esclarecer: ao longo deste texto, vou utilizar o nome do seriado da Rede Globo sempre em minúsculas e sem destaque, como uma forma de demonstrar o meu tamanho desprezo por tal produção.

Anteontem, assisti pela primeira vez à propalada série daquele “autorzinho” que acha que está fazendo um bem para a humanidade engendrando uma teleficção descabida e cheia de propósitos! Fiz o meu papel como cidadão consciente e responsável: para não ser preconceituoso, assisti antes de julgar. Agora, é a hora do julgamento. sexo e as negas é um manifesto racista da Rede Globo! É uma forma de a emissora dizer: “Os negros são assim”. E, nesse “assim”, cabe tudo: estereótipos, desrespeitos, preconceitos. Uma série escrita por “estrangeiros”! Artur Xexéo é um dos colaboradores! Não precisa dizer mais nada, né? Enfim... É o olhar do outro sobre nós. E o pior: é como os outros querem nos ver! Para eles, somos limitados, desbocados, máquinas sexuais e defeituosos. No episódio de terça-feira, 23 de setembro, intitulado “O pente que te penteia”, a ideologia adotada pelos produtores da série foi a de que o cabelo do negro e da negra é um problema. Com personagens interpretados por atrizes negras reforçando isso! Tanto é que períodos como “Meu cabelo tá rebelde, cheio de vontade. Esta semana eu vou botar rédea no bicho [sic]”, “Cabelo é assim: ou a gente domina ele ou ele domina a gente”, “Nossa, o teu cabelo tá com cheiro de gordura! [da filha para a mãe]” eram constantes nas falas delas. Teve a história da menina negra cooptada, que mora na comunidade, e foi “fazer o cabelo” (essa foi a expressão usada!) na Zona Sul carioca (onde, de acordo com a fala de uma personagem branca, “só tem nega fina”). Teve a história da cabeleireira branca, do Sul do país, que ao ser indagada se tinha dado jeito no cabelo de umas das "protagonistas" negras, soltou: “O cabelo é ruim, mas eu sou pior do que ele. Eu sou bem pior!”. A sulista também falou: “Tô morta! Não consigo nem coar um café! O cabelo da Tilde [a "protagonista"] me deu uma surra! Já disse ao Vinagre: ‘Deus que me livre ter sobrinho com aquela carapinha!’”, “Foi graças à negra Verena que eu aprendi a lidar com cabelo ruim”.  sexo e as negas é um atentado! sexo e as negas tenta destruir toda a nossa luta! sexo e as negas é um absurdo!

Enquanto acompanhava o episódio, me senti envergonhado em várias ocasiões. O Brasil retrocedeu 500 anos com sexo e as negas. O país involuiu. A série é cheia de estereótipos! Tem o negro e a negra como objeto sexual. Tem a casa de patrões brancos que, na ausência da mulher, o marido aproveita para seduzir a empregada. Dessa vez, dando R$ 200 para ela “cuidar do cabelo”. Não precisa dizer que a empregada é negra, né? Estereótipos! Olha o que fazem com a gente! Aos negros que estão no elenco, de antemão, eu peço desculpas pelo que vou afirmar, mas vocês estão sendo usados. Tal qual um senhor abastado fazia com seus escravos numa colônia bem perto daqui... Aldri Anunciação (autor de Namíbia, Não!, uma sátira política, que considero um manifesto antirracista!), Karin Hils (aquela que foi do grupo Rouge e que tantas vezes falou de racismo na TV), Corina Sabbas, Lilian Valeska, Maria Bia, Adriana Lessa, Rafael Zulu, Aline Dias, Rafael Machado, Izak Dahora, Beltrano e Beltrana: vocês estão sendo usados! E eu sei que sabem disso. No presente, vão querer reconsiderar, mas no futuro... sexo e as negas é o novo Cinderela Baiana. Daqui a cinco, dez anos, quem participou vai se sentir desconfortável de falar que integrou o elenco da série.

Sinceramente, fui dormir com raiva após acompanhar esse triste episódio da história recente do Brasil. Mas o que esperar de uma TV que tenta vitimar racistas e que institucionaliza a “inveja branca” como aquela em que não há cobiça? sexo e as negas é uma série minúscula! sexo e as negas é desnecessária!


No rodapé da seção de "Créditos" do site oficial da série, a indicação de que a obra é de "livre criação artística e sem compromisso com a realidade". Típico. Captura da tela: 25/9/2014.

Postagem mais recente Postagem mais antiga Página inicial

2 comentários:

  1. Não assisti nenhum capítulo, aliás, abominei a rede globo há muito tempo. Não faço a menor ideia quais as atrações da emissora. Talvez essa minha atitude seja uma forma cômoda com a realidade, não sei, o fato é que quando percebi objetivos de alienação e manipulação, preferi me abster. Por outro lado, interessante assistir para poder tecer a crítica de forma consciente. Agora, conforme as falas que colocastes no texto, de fato... sinceridade tenho as minhas dúvidas quanto ao despertar do gigante. Lembra quando eu disse que a corrupção não é nada poético no Brasil? É exatamente isso. As pessoas enganam-se. Tem o sabido e o que finge não entender, às vezes nem entende mesmo. Tira-se proveito de qualquer situação, sem a menor reflexão. Infelizmente. Fruto do capitalismo exacerbado e do pertencimento à alienação. Louvável Raulino sua indignação. Um forte abraço!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Pelo e para o capitalismo, as pessoas fazem quaisquer coisas. Até mudam de ideologia de vida! Um absurdo! Obrigado pelo comentário, Sandra! As interações são sempre bem-vindas! Abração!

      Excluir

Copyright © Desde que eu me entendo por gente

Design by Josymar Alves