sábado, 15 de dezembro de 2012

É isso mesmo, não muda nada


Viver sustentando aparências é muito estranho. Quem é sincero, é tachado de polêmico. A sociedade molda as pessoas e elas participam de um acordo tácito difícil de ser desfeito. Você não pode ser você. Você tem quer ser aquilo que os outros querem que você seja. É mais bonitinho. É menos chato. E funciona. Então, tá.

As máscaras sociais fazem parte da vida de todo mundo. Isso é fato! Ninguém se mostra como é de verdade. No universo das conveniências, é mais interessante mostrar sempre o lado bonzinho, o bacaninha. Mas por trás de qualquer capa doce, existem também sabores amargos e azedos. Ninguém é só bondade. Isso tem que ser esclarecido.

O sorriso constante não invalida a crítica consciente. Isso não tem nada a ver com “querer ser polêmico por ser”. É, apenas, uma característica humana, no sentido mais amplo da palavra. Não dá para achar que tudo está bom, que é isso mesmo e não muda nada. Será que nada te inquieta? Nada te revolta? É melhor mesmo ficar no confortável estado de passividade? Como você contribui para que o mundo seja melhor?

É muito contraditório falar de consciência ambiental e, por exemplo, lavar a calçada com a mangueira jorrando água. Bem como, acusar o político de corrupto e pensar em manobras para não pagar certos impostos. Não dá para ficar só no discurso. Isso é coisa do passado.
Postagem mais recente Postagem mais antiga Página inicial

0 comentários:

Postar um comentário

Copyright © Desde que eu me entendo por gente

Design by Josymar Alves