sexta-feira, 14 de setembro de 2012

A leitura e suas delícias

Não há nada melhor do que ler. Quem lê, está sempre à frente de quem não lê. Ler é poder. Quem lê, viaja. Um livro é, muitas vezes, nosso melhor amigo. Frases como essas podem até carregar clichês e lugares-comuns, mas, de fato, dizem a verdade. Você já se apaixonou por um livro? Sim, acontece da mesma maneira como nos apaixonamos pelos seres humanos: a gente vê, se interessa, chega perto, faz uma leitura mais atenta dos detalhes, tem contato físico e, pronto, o enlace está feito. A única coisa negativa da relação leitor/livro é que ela começa com tempo certo para terminar. Diferentemente das relações humanas, em que não se pode controlar o tempo de vida útil. Ou inútil?! Sei lá, fica a cargo de cada um. Voltemos aos livros. Pensando bem, nossa relação com os livros que lemos é infinita, uma vez que as histórias e conhecimentos adquiridos ficam para sempre dentro da gente, aonde quer que a gente vá.  

E quando a gente lê entusiasmadamente? Não tem sensação melhor. As páginas passando e uma história interessante sendo contada. A leitura servindo de alimento e você devorando com toda a sua fome. E, num determinado momento, você solta um forte suspiro, num misto de entendimento e de prazer pelo o que se leu. Daí, vem a vontade de seduzir outras pessoas, de compartilhar aquela descoberta. Como é bom poder ler... 

Nos dias de hoje, com internet e informação por todos os lados, é balela alguém dizer que não tem tempo para ler. Ou que não tem acesso a meios que possibilitem praticar a leitura. A resposta para a primeira desculpa esfarrapada vem em modo de pergunta: você aproveita o tempo que tem para fazer coisas, realmente, úteis? Por exemplo, a internet é uma ferramenta extraordinária, mas você já parou para pensar quanto tempo destina ao Facebook? Que tal colocar mais “book” nesse “Face”? Já para a segunda desculpa, algumas respostas: bibliotecas são ótimos espaços para a prática da leitura. E o melhor: o empréstimo de livros é gratuito; existem milhares de jornais e revistas que são distribuídos gratuitamente; todos os dias somos bombardeados por panfletos. Já pensou em lê-los? Enfim, não precisa ser nenhum instituto de pesquisa para confirmar: quem não lê, o faz por preguiça mesmo. 

E ler é uma delícia. Ficção, não-ficção, biografias, romances, poesias, memórias, crônicas, contos, entrevistas etc. Não importa o gênero, o que importa é a vontade. Trace a seguinte meta na sua vida: ler todos os dias, qualquer coisa, sem vergonha. Pode ser revista de fofoca, livro de autoajuda, panfleto com informações de candidatos das eleições e até este artigo. Devore o que quiser e encha a barriga. Uma coisa é certa: você sairá satisfeito.


Postagem mais recente Postagem mais antiga Página inicial

0 comentários:

Postar um comentário

Copyright © Desde que eu me entendo por gente

Design by Josymar Alves