sexta-feira, 10 de agosto de 2012

Doce, amargo, azedo e salgado

Onze de agosto. Dia do Estudante. Um dia feito para homenagear uma classe de grande importância para a sociedade. É com os estudantes que está a esperança de fazer um mundo melhor. E, como todos nós somos “eternos estudantes”, a esperança está em nossas mãos.

Muita gente acha o ato de estudar ruim, chato, sem importância. Mas essa opinião torna-se inválida quando se observa, por exemplo, o crescimento pessoal e profissional de um amigo de infância que prosperou devido ao estudo.

Estudar só é ruim quando você encara o estudo como se fosse um alimento de sabor azedo. A sensação de comer um alimento azedo é a mesma para todas as pessoas: faz-se uma cara feia, acompanhada da interjeição “argh!”. Assim também é o comportamento do estudante “azedo” diante dos estudos. Ele vive de cara feia nas aulas e acha que estudar é coisa do passado (alguns alimentos tornam-se azedos pelo fato de estarem “passados” do tempo de comer). Esse não é o estudante homenageado pelo Dia do Estudante.

Há também algumas pessoas que acham a atividade de estudar péssima. Aí, entra em campo o estudante “amargo”. Qual é a reação quando se toma um remédio amargo ou come-se um alimento desse sabor? De rejeição, de desprezo, de intolerância. É dessa forma que o estudante “amargo” se comporta em relação aos estudos. Ele despreza o trabalho do professor em sala de aula, rejeita aprender como rejeita um jiló e é intolerante por vida. Cara feia para ele não é fome e, sim, uma forma de viver. Esse não é o estudante homenageado pelo Dia do Estudante.

Há pessoas que até gostam de estudar, mas não consideram essa ação a melhor coisa do mundo. É como se ingerissem um alimento de sabor salgado. É bom, porém deixa um gosto não muito agradável na boca. O estudante “salgado” tem uma resposta salgada para tudo e, no fundo, sabe que ele próprio é como um alimento com excesso de sal: insuportável! Esse não é o estudante homenageado pelo Dia do Estudante.

Mas existem pessoas que sabem da relevância do ato de estudar para a vida. Pessoas que o fazem com um belo sorriso no rosto e com grande vontade de aprender. Isso porque trazem o espírito infantil par a sala de aula e, como toda criança, adoram o sabor doce. Essas pessoas acham “doce” o ato de estudar e, por isso, consideram-no bastante prazeroso. Qual é a reação de uma pessoa quando recebe um doce? Certamente, você pensou: de alegria, de felicidade, de prazer. O estudante “doce” sabe lidar com os colegas e professores, tem compromisso e responsabilidade; é muito querido por todos e sempre está de bem com a vida. Esse, sim, é o estudante homenageado pelo Dia do Estudante. Então, qual estudante você é: doce, amargo, azedo ou salgado?
Postagem mais recente Postagem mais antiga Página inicial

0 comentários:

Postar um comentário

Copyright © Desde que eu me entendo por gente

Design by Josymar Alves