quarta-feira, 15 de agosto de 2012

Blogue DESDE QUE EU ME ENTENDO POR GENTE lança seção “Você viu?” analisando DVD de Arnaldo Antunes

#VOCÊ VIU?

O objetivo da seção “Você viu?” é analisar produtos que já fizeram parte (e ainda fazem, né?) do movimentado mercado cultural do Brasil; sem discriminações, mas com alguns preconceitos. Afinal, somos preconceituosos por natureza. Fique à vontade!


ARNALDO ANTUNES REÚNE EM DVD TODO O SEU LEGADO

 


O DVD Arnaldo Antunes Ao Vivo no Estúdio (Brasil, 2007, gravadora Biscoito Fino) mostra toda a versatilidade de Arnaldo Antunes, um artista modernista por natureza e muito preocupado com a qualidade de seus trabalhos. O registro foi produzido pelo próprio Arnaldo, em parceria com Betão Aguiar, Chico Salem e Marcelo Jeneci. Quem assinou a direção de vídeo foi Tadeu Jungle e a gravação foi realizada no tradicional Estúdio Mosh, em São Paulo. Arnaldo estava, portanto, cercado por um elenco que, assim como ele, tem uma vasta experiência no cenário musical do Brasil. Isso, certamente, foi um dos motivos para que a obra saísse tão bem acabada.


Arnaldo Antunes Ao Vivo no Estúdio é o primeiro DVD oficial da carreira de Arnaldo (antes, o cantor lançou o do “projeto” Tribalistas (2002) e teve o VHS de seu primeiro trabalho solo (Nome, de 1993) transformado em DVD pela Sony/BMG (2006)). As músicas apresentadas no audiovisual foram, predominantemente, compostas por Arnaldo Antunes com alguns parceiros e dão a dimensão de toda a sua subjetividade. O DVD tem 24 faixas e conta com participações especiais de Nando Reis, Edgard Scandurra, Branco Mello e Tribalistas (leia-se Carlinhos Brown e Marisa Monte que, com Arnaldo, formaram o trio em 2002). Nos extras, três faixas bônus, galeria de fotos e um clipe multitake da música Hotel Fraternité.


Arnaldo trouxe um clima de sarau para a gravação do DVD. As intervenções poéticas realizadas durante o espetáculo comprovam isso. O modo peculiar de cantar, meio que falando, contribui para que o poeta e o cantor se confundam no palco. Uma das maiores evidências disso se dá na interpretação de O Silêncio, em que Arnaldo dá uma longa pausa no meio da música (de propósito) e quebra o silêncio com a declamação de Desafinado, de Tom Jobim; logo após, retoma a canção original. Para corresponder ao viés modernista de Arnaldo, pode-se afirmar, usando um neologismo, que ele “declanta” (declama e canta) suas músicas e essas “declantações” fazem parte da identidade do artista Arnaldo Antunes e o torna singular entre os intérpretes brasileiros.


O DVD traz canções emblemáticas da carreira do ex-Titãs, como a melancólica Socorro e Saiba, que foi gravada por Adriana Calcanhoto no CD Adriana Partimpim, lançado em 2004 e voltado para o universo infantil. Falando em criança, Arnaldo faz uma releitura interessante de Acabou Chorare, sucesso dos Novos Baianos. A regravação de Qualquer Coisa, de Caetano Veloso, foi uma boa sacada e transborda de lirismo. Num determinado momento da música, Arnaldo insiste em repetir o verso “Sem essa aranha”. Por quê? Vai saber! Coisas do Arnaldo.


O show do DVD é apresentado de forma bem intimista. Tanto é que os convidados saem de uma diminuta plateia, o que reforça ainda mais essa atmosfera de proximidade desejada pelo artista. Dentre as participações especiais, a de Nando Reis é a mais primorosa. A música Não vou me adaptar relembra os bons tempos dos Titãs e mostra a felicidade dos dois amigos em dividirem os vocais. Por outro lado, o dueto de Arnaldo e Edgard Scandurra em Judiaria parece o primeiro ensaio de adolescentes numa banda de garagem e lembra muito as caras e bocas de Júnior Lima e seus companheiros da fracassada Nove Mil Anjos, para quem fazer rock’n’roll é demonstrar cara de mau. A presença de Branco Mello é insossa, embora a canção Eu não sou da sua rua, composta por ele e por Arnaldo, tenha uma boa mensagem. Já os Tribalistas só pecam por não mostrar nenhuma novidade nas músicas apresentadas. Os arranjos de Um a um e Velha Infância são os mesmos do CD lançado em 2002. A impressão que dá é a de que Arnaldo os convidou apenas para constar. Mas, como a intenção do artista era fazer uma síntese de sua trajetória musical, é compreensível o convite aos seus colegas de tribo.


O DVD Arnaldo Antunes Ao Vivo no Estúdio apresenta um inventivo Arnaldo Antunes, sempre disposto a se reinventar. A começar pelo próprio nome da obra, que parece guardar uma contradição: é “ao vivo” e “no estúdio”. Até as esquisitices do artista, que volta e meia pula no palco como se estivesse brincando amarelinha, são válidas porque servem para quebrar o ar sisudo de Antunes e emprestam humor às canções. Não dá para negar que Arnaldo fez uma boa autossíntese no registro audiovisual.



# Se você viu, deixe a sua opinião sobre o produto cultural.
Postagem mais recente Postagem mais antiga Página inicial

2 comentários:

  1. Ola meu querido Raulino Junior gostaria de dizer que sinto saudades de você.E pessoas como você eu faço questão de numca esquecer pelo visto continua gentil e modesto esta é uma de suas grandes virtudes bjs day

    ResponderExcluir

Copyright © Desde que eu me entendo por gente

Design by Josymar Alves