domingo, 8 de abril de 2012

Calorosos na distância e frios na presença

Assim são os seres humanos. Ou melhor, assim são alguns seres humanos. Calorosos e frios. Não há nada que explique. Isso faz parte da nossa “ser-humanidade”. Como diz uma canção de sucesso: estranho, hein?!

Quantas vezes você já foi convidado para uma festa na casa daquele amigo que fazia questão da sua presença e, no momento da comemoração, ele não te dá a mínima? A pessoa te convida para ir até a casa dela, você dá o melhor de si, se arruma, se perfuma, coloca a melhor roupa, dá atenção ao convite e, na hora “H”, nada. O exemplo é simples, mas o objetivo é chamar atenção para a desatenção das pessoas.  Em nossa sociedade, atenção é artigo de luxo. Todo mundo está tão voltado para o seu umbigo que nem olha para o lado. Nessa lógica, dar atenção ao outro virou um gasto de tempo desnecessário.

As redes sociais refletem muito do que está sendo discutido aqui. Nesse ambiente, é comum a gente receber mensagens de felicitações pelo aniversário ou convites de “amizade” por parte dos usuários. Aí, as conversas são supercalorosas, demonstrações de carinho, declarações de saudades aqui e acolá, explosão de fogos, uma agonia danada! Contudo, no ambiente da vida real, quando os “amigos” se encontram, só não cai neve porque o clima não é favorável. Somos (ou estamos) calorosos na distância e frios na presença. A atenção destinada a uma pessoa na vida real não deve ser suplantada pela a atenção do ambiente virtual. Elas devem ser complementares.

Todo mundo precisa de atenção, até aquela pessoa que você acha que não vai te acrescentar nada. Lembre-se: você só “acha”, não tem certeza. Sejamos calorosos na distância e quentes (em estado de fervura) na presença!
Postagem mais recente Postagem mais antiga Página inicial

Um comentário:

Copyright © Desde que eu me entendo por gente

Design by Josymar Alves