sexta-feira, 15 de julho de 2011

O VIÉS SUPERFICIAL DA ALEGRIA

|Artigo

Os primeiros versos da canção Samba da Bênção, composta por Vinicius de Moraes e Baden Powell, afirmam o seguinte: “É melhor ser alegre que ser triste/Alegria é a melhor coisa que existe/É assim como a luz no coração...”. Mas há quem contrarie os compositores e discorde de tal ideia. Algumas pessoas não veem graça na alegria alheia e a consideram como um incômodo, tachando de rasa a pessoa que vive nesse estado de espírito.

Muito se ouve falar de que ter bom-humor é importante para as relações sociais, que ele auxilia no processo de cura de algumas doenças e aqueles que têm encaram a vida de forma mais leve, vivem mais e melhor. Porém, o estado constante de alegria não agrada aos chatos de plantão espalhados por aí. Existem pessoas que são emburradas por natureza e veem como um acinte a alegria de alguém. Os invejosos da alegria não suportam a ideia de que exista alguém feliz sem nenhum motivo aparente. Óbvio que, o fato de uma pessoa encarar a vida de forma otimista, não significa que ela esteja livre de problemas.

O provérbio “Muito riso, pouco siso” reforça o argumento dessas pessoas que andam com uma nuvem de fumaça na cabeça. Nesse sentido, traz a ideia validada por muita gente de que o indivíduo que vive rindo de tudo e de todos não tem muito juízo, é superficial. Quer dizer que só é responsável e profundo quem é sério e triste? Nada a ver. A tristeza e a seriedade também não garantem tais qualidades. Quando se discute comportamento humano, nada pode ser determinado. Essa espécie é sempre uma caixinha de surpresas.

Cada pessoa vê a felicidade de uma forma. Para uns, ela só se configura nas coisas vistas e ditas como grandiosas. Para outros, ela está nas coisas mais simples da vida, como num elogio por alguma atividade feita, na contemplação de uma paisagem natural ou na realização pessoal. Cada um na sua. Contudo, tachar de superficial quem é alegre nada mais é do que falta de informação. Leia-se: preconceito.

Postagem mais recente Postagem mais antiga Página inicial

Um comentário:

  1. Olhe, sr. Raulino, se alguém anda "bullinando" - para usar um termo na moda - sua alegria, que é tão marcante da sua personalidade, não ligue e continue na vibe de Vinicius de Moraes. RUM!

    ResponderExcluir

Copyright © Desde que eu me entendo por gente

Design by Josymar Alves