quarta-feira, 20 de abril de 2011

"ACHEI DESCORTÊS SER COMUNICADO PELA IMPRENSA" AFIRMA MANNO GÓES

Manno Góes fala sobre a saída de Tuca: "Não me decepcionei, mas também não me surpreendi"

ICultura

O baixista e compositor Manno Góes, da banda Jammil e Uma Noites, concedeu entrevista coletiva na tarde dessa terça-feira para falar sobre a saída de Tuca Fernandes do grupo e sobre os novos rumos da banda, uma das mais importantes da Bahia. O encontro com os jornalistas aconteceu na Creperia Mariposa- Pura Vida, no Jardim Apipema, e foi bastante disputado. Na ocasião, Manno revelou que só soube da decisão de Tuca através de um site jornalístico. “É natural que o cantor de uma banda queira seguir carreira solo, por várias questões. Eu só questiono a forma como Tuca fez isso. Nem eu nem Paulo Borges [empresário do Jammil] sabíamos de tal decisão. Entre mim e Tuca, todo mundo sabe, já não havia mais diálogo. Eu não sabia o que se passava no coração dele nem ele no meu. Mas o que me surpreendeu foi Paulo Borges também não saber. Eu achei descortês ser comunicado pela imprensa”, desabafou. Como principal compositor da banda, Manno foi questionado se deixará Tuca cantar as músicas do grupo e foi enfático na resposta: “Mesmo que eu pudesse usar algum recurso jurídico para ele não cantar as minhas músicas, não usaria, porque todo o sucesso das canções foi alcançado coletivamente. Já gravar, ele não pode, uma vez que o Jammil dará prosseguimento à própria carreira”.

Novos rumos
Durante a coletiva, Manno se mostrou motivado com as mudanças e apostando na tão propalada renovação da Axé Music. Tudo isso porque o burburinho em torno do nome de Levi Lima, ex-vocalista da banda Via Circular, para assumir os vocais do Jammil é muito grande. “Estou muito empolgado com esta mudança, com a renovação. Paulo Borges está com os olhos brilhando de tantas ideias. Minha vontade é que seja mesmo o Levi, mas, por motivos contratuais, nada foi fechado ainda”, desconversou. Manno deixou claro que nunca passou pela sua cabeça se tornar vocalista da banda. “Jamais seria cantor de trio elétrico, não tenho disciplina para tal. Ficaria rouco na terceira música. E também não gosto do ‘tira o pé do chão’ incorporado nas músicas pelos cantores. Eu acho isso a coisa mais chata da Axé Music”, confidenciou. Diante de tantas novidades, o baixista revelou não temer o futuro do Jammil. “Encaro a nova fase como um recomeço mais fácil, porque já temos uma boa estrutura. A única dificuldade será a de criar uma nova identidade para o grupo, mas só vamos conseguir fazer alguma coisa com muito trabalho. Eu teria receio se não tivesse a equipe que tenho na Carreira Solo, comandada por Manoel Castro e Paulo Borges”. A partir do segundo semestre deste ano, a Jammil e Uma Noites deve apresentar ao público os próximos rumos da carreira. Para o carnaval de 2012, ainda não tem nada decidido, já que o bloco Balada ficou com Tuca. De concreto, só a gravação de um novo DVD em Diamantina, Minas Gerais.

História
Com a saída de Tuca Fernandes do Jammil, uma lacuna se abre nos bastidores da Axé Music e as especulações não param de ocorrer. No fundo, as pessoas querem saber as verdadeiras razões do término da parceria de 17 anos entre Tuca, Manno e Beto. Na entrevista de ontem, o baixista afirmou que estava disposto a abrir mão da marca “Jammil” para não prejudicar a carreira do grupo. “Se o motivo do mal-estar era eu, não queria carregar esse peso nas costas. Chamei Paulo Borges e o mandei decidir o que era melhor para o Jammil. Abriria mão até da marca para isso. Mas estava num time de futebol em que um jogador não passava mais a bola para o outro. Por isso, para mim, há contradição no discurso do Tuca. Ofereci a marca e ele optou pela carreira solo. Não me decepcionei, mas também não me surpreendi. Não acredito em estereótipos, por isso não existe o bom nem o mau nessa história. Todas as pessoas têm esses dois lados. Nós estamos reestruturando a casa. As coisas passam, as coisas mudam e tudo se transforma. Eu tenho muita gratidão pela minha história com o Tuca, pois ela é vitoriosa. Os caminhos da vida fizeram com que nós não fôssemos melhores amigos, mas tenho certeza que não ganhei um inimigo”, finalizou.

A banda Jammil e Uma Noites surgiu em 1997 e de lá pra cá trilhou um caminho de sucesso dentro da música baiana. Tuca Fernandes, Beto Espínola e Manno Góes fizeram o Brasil curtir um som diferenciado de Axé Music, com forte influência do pop, e marcaram a vida de muita gente com músicas como Milla, Ê Saudade, Pra Te Ter Aqui, É Verão, Praieiro, Minha Estrela e Tchau, I Have To Go Now.
Postagem mais recente Postagem mais antiga Página inicial

Um comentário:

  1. Que massa, Rauli! Seu texto é tão limpo!

    Confesso q seá estranho ouvir Jammil sem Tuca. :/

    ResponderExcluir

Copyright © Desde que eu me entendo por gente

Design by Josymar Alves